O amor na Terra é o plantio e a colheita
O amor na água é a sede e a saciedade
O amor no fogo é a chama e o chamamento
O amor no ar é inspirar e respirar
O amor na quintessência é colher a saciedade da água, ouvir o chamamento, inspirar e respirar

Ao inspirar a colheita renova a plantação
Quando inspira a saciedade transmuta sua sede para uma busca
Quando inspira o chamamento reconhece quem o chamou

Quando respira o plantio descobre o que plantou
Quando respira a busca continua ouvir o chamamento e quem o chamou
Quando respira o que o inspirou cria o mundo novo

A era dourada

O ouro que o sol extraiu da miscigenação da humanidade pondo um fim na solidão do homem dentro da gruta em busca do ouro da terra como quem procura uma chave para sair da gruta da solidão

Nesta era dourada que se aproxima revelará para o homem que esta gruta escura e solitária era o seu próprio coração

O ouro que o sol extraiu da miscigenação da humanidade trará a claridade e a compreensão transmutando corações escuros e solitários em uma orquestra que entoa graças, graças, graças ao Senhor que o tirou da gruta da solidão dando-lhe um coração que faz circular por todos os seus órgãos o amor incondicional por todas as criaturas para todo o sempre.

E o homem finalmente dará conta, sustentará as lições e eliminará qualquer contradição porque este homem, agora, sabe de um universo e das suas universalidades

Halu Gamashi

Cacha Pregos/BA 17.3.2016. 00h26min

 

 

0 comentários

Enviar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Vídeos

O Chip Sombrio do Plano Inverso

Categorias

Arquivo

Categorias

Arquivos