Apocalipse é a Destruição

Apocalipse

Ouvindo os relatos dos Zeladores do Segredo, em um primeiro momento, “fui visitada” pela superficialidade, frivolidade e pensei, como? Por que tanta perseguição? Por que precisaram ser levados para a omissão conteúdos tão importantes que, com certeza, nos fariam pessoas mais calmas e, principalmente, mais fortes por estarmos conectadas com o nosso potencial interno, com a nossa força genuína?

Neste momento também fui visitada pelo conhecimento que tenho dos poderes do mundo: a escolha pela uniformização, o controle, a hierarquia. E, literalmente pisei o chão em que vivemos, o chão da guerra, tudo é guerra, tudo tem que pertencer a uma minoria. Lembrei-me de centenas de escravos temendo um capataz e dois ajudantes. O poder precisa de poucos para sublimar a maioria. Pensei em nosso planeta azul, lembrei do que já havia aprendido sobre as energias que se manifestam sob esta cor, descrito no capítulo que fala das cores no livro que estou escrevendo.

Lembrei-me dos mártires e senti uma enorme vontade de não voltar para casa.

Acompanhando meus pensamentos fui deles retirada por Meu Amigo Espiritual Baltazar:

– Ainda não é o momento – tomada por todo o sentimento que me acompanhava pensei em organizar algumas palavras para lhe dizer, mas ele continuou sua fala – a sua responsabilidade não permitirá. É importante que você viva este momento, compreenderá com mais profundidade que o apocalipse é a destruição, é o resultado das lutas entre os poderosos.

Poder não significa conhecimento, intelecto, muito menos sabedoria – muito pelo contrário – poder é o resultado da ausência destes conhecimentos e virtudes. O poder não é grande, o poder não é pequeno, o poder é o poder; a diferença está no acesso que um poderoso cultiva para determinar uma destinação para os seus subordinados. Entre os poderosos existe uma mãe poderosa, um pequeno acesso e executa este poder sobre a vida dos seus filhos, do seu marido. Da mesma forma encontramos um pai poderoso que atua no mesmo sistema, o dono de uma empresa, o chefe de uma nação, não há diferença na índole destas pessoas, a única diferença é a sua expansão.

As religiões têm sido muito usadas como novo território dos poderosos. O filho de um pai ou mãe poderosos pode escolher segui-lo, da mesma forma, há os que acompanham o chefe de uma empresa, de uma nação e os líderes religiosos.

As pessoas que não querem o apocalipse por livre escolha se afastam deste tipo de filosofia e acumulam grandes sofrimentos para sobreviverem e viverem no planeta Terra pois tudo, para elas, torna-se mais difícil. É difícil encontrar um emprego, um serviço para manterem suas necessidades materiais, principalmente quando estas necessidades são acrescidas pelo modismo ou supérfluos porque aprenderam no sistema que precisam destes adornos para viver.

O apocalipse é uma proposta de transformação para todas as pessoas que escolheram sair da redoma dos poderosos. É preciso que a humanidade entenda que o apocalipse é um ensinamento de transformação, de mudança de pensamentos, de reciclar o que chamam de necessidade para as pessoas do círculo do poder.

O apocalipse é a destruição porquê, de fato, destruirá o poder que estas pessoas pensam ter.

A perseguição, a injuria, as calúnias por um tempo acompanharão todas as pessoas que se afastaram do círculo do poder, as suas conquistas serão minimizadas, dificultadas para que não ensinem o caminho para outras pessoas, muitas delas inclusive desistem no meio do caminho por estarem acostumadas a acreditar que o sistema dos poderosos lhes permite algum conforto e a oportunidade de ser mais poderoso um dia.

A decisão de assimilar o que o ciclo do apocalipse quer dizer é muito interna e para tanto é importante o cansaço interno de mentir, competir, transvestir-se com a crueldade, o egocentrismo e o egoísmo porque estas atribuições se infiltram no individuo para transformá-lo em um poderoso. O amor pelos pais, pela família, pelos amigos, pelas águas, pelas árvores, pela sabedoria, pela bondade e pela beleza precisa ser eliminado e quando consegue ser completamente eliminado as portas do poder se abrem totalmente para eles.

O apocalipse é um ciclo criado pela própria humanidade, uma soma de energias densas, destrutivas, que em um primeiro momento, enquanto ainda está muito forte, ataca a natureza modificando seu clima, acendendo seus vulcões, provocando terremotos, tempestades e essa “luta” com a natureza diminui o seu poder apocalíptico de ação. Em um segundo momento se direciona às pessoas, principalmente aquelas cujo poder auxiliou no acúmulo desta densidade e, na sequência, atinge a todos.

No entanto, nos diversos ciclos apocalípticos que já aconteceram no planeta Terra é fato que aqueles que não contribuíram com a formação e acúmulo desta densidade perversa são os que menos sofreram com o desfecho apocalíptico.

Sei que você escreve o material, mas em nome da responsabilidade e do momento em que estamos vivendo é aconselhável que este texto, que fará parte do livro, circule o mais rápido possível, esta é uma forma de contribuir com nós mesmos aumentando a nossa distância para os efeitos fulminantes do apocalipse que já está totalmente assentado em todo o planeta terra.

Depois desta orientação, o que fazer? Seguir a orientação.

Peço a todos que se sentiram tocados por ela que me auxiliem a fazer circular esta mensagem. É um pedido de cumplicidade a todos que se sentiram tocados por esta e outras mensagens e, principalmente, pelo que testemunho da crueldade que se multiplica e prolifera em nosso planeta.

Halu Gamashi

1 Comentário

  1. José Luiz de Oliveira

    Que a força esteja com vê! Muito bom o texto.

    Responder

Enviar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Vídeos

MESTRES ASCENCIONADOS, os 144 MIL e a ENERGIA DO GRAAL

Categorias

Arquivo

Categorias

Arquivos